Data

A paz do Senhor Jesus Cristo. Hoje é

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Você se queixa de que?

De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados.” Lamentações 3 v. 39

Somos pecadores e por isso reclamamos, por isso nos queixamos e às vezes (não raramente) murmuramos.
A passagem dá uma explicação bem clara do motivo do sofrer, na Bíblia Sagrada na Nova Versão Internacional (NVI) o mesmo texto é assim escrito: "Como pode um homem reclamar quando é punido por seus próprios pecados?". Sabemos que se quero comer milho vou plantar milho, não vou plantar feijão, pois sei que: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gálatas 6 v.7).
Vivemos em uma sociedade que relaciona muito o nosso passado com o nosso presente e diz sempre que o que acontece hoje é consequência do que fizemos ontem. Isso é um fato interessante e que muitas vezes não levamos em consideração antes de "murmurarmos". É bem verdade que somos ingratos com Deus quase que o tempo todo e todo o tempo; colocamos muitas vezes a culpa no inimigo de nossas almas, no adversário; sabemos fazer o bem e deixamos de fazer (Tiago 4 v.17); somos impacientes diante das tribulações da vida; enfim somos "cabeças duras".
A Bíblia diz que o salário do pecado é a morte (Romanos 6 v. 23)  como narrou Paulo aos romanos. Mas esquecemos que temos que, diariamente, vigiar a fim de que não caíamos em tentação, não baixemos a guarda, não pequemos. Afinal de contas estamos em uma caminhada e nesta caminhada teremos sim muitos obstáculos e inúmeras oportunidades de sermos desviados deste caminho, de "errarmos o alvo", de pecarmos. 
Vamos usar exemplos bem práticos que certamente vão "refrescar" sua mente.
Se a pessoa ingere bebida alcoólica durante longos períodos de sua vida, esta pessoa tem forte tendência  de ser cometida de uma cirrose hepática; se a pessoa fumou cigarros durante longos períodos de sua vida, terá grandes chances de desenvolver doenças no pulmão, coração e outros órgãos por causa de seu vício.
Se a pessoa vai à uma loja em busca de um sapato novo e escolhe um, mas quando o vendedor o informa que não tem seu número, ela diz: traz um número menor que eu vou levar assim mesmo. Esta pessoa vai usar o sapato, que não é seu número, mesmo apertando os seus pés, sabendo que vai machucar, que vai doer durante o uso e depois de tirar também, mas vai usar só porque gosta do sapato. Estes exemplos mostram consequências de nossos atos passados. Com o pecado é a mesma coisa, se estiver em pecado vai sofrer, vai ter do que reclamar. 
Quero lembrar que Deus não nos chamou para sermos santos, nos chamou para a santificação, para sermos transformados pela renovação do nosso entendimento (Romanos 12 v.2) a fim de que possamos entender que a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável para nós sempre. Devemos sim julgar-nos diariamente para verificarmos nossas ações, nossas condutas para que vejamos onde estamos errando o alvo e não mais nos queixarmos como se Deus fosse o culpado de nossas falhas, pois vive o Senhor de nos provar, será?
Costumo, antes de ir dormir à noite, de contar todo o meu dia para Deus, faço um verdadeiro relatório, conto sobre como acordei, meu café, meu almoço, minha viagem de ida e volta ao trabalho, meus trabalhos, comento sobre tudo e, não raramente, percebo falhas, erros que devem ser evitados e não mais cometidos. Experimente você também.
"Muitas são as aflições do justo, mas Deus o livra de todas" (Salmos 34 v.19), lembre-se disso, sempre!
Que o amor de Deus que excede todo o nosso entendimento seja derramado sobre suas vidas e de suas
famílias em nome de Jesus Cristo. Amém!
De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados.

Lamentações 3:39