Data

A paz do Senhor Jesus Cristo. Hoje é

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Conta as bençãos e se surpreenda!

Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito?” Salmos 116 v.12

Você já parou para pensar ou para contar quantas bênçãos Deus te deu? Mesmo sem você ser, ou se julgar ser, merecedor?
Sei que às vezes bate um desânimo, um desalento, parece que a caminhada não produz frutos, a caminhada é difícil de seguir, parece que tudo é em vão. A cruz parece pesada demais para você, podia ser de isopor e ter rodinhas, não é? Você olha ao redor e vê todos sem problemas, sem aflições, não parecem tristes estão sempre sorrindo, sempre bem vestidos, com carros novos, com vida financeira estabilizada, muitos bens, aparentemente tudo da certo para eles. 
Existe um louvor da Harpa Cristã (Assembleias de Deus) e do Cantor Cristão (Igreja Batista) que se chama "Conta as bênçãos" escrito por Johnson Oatman, Júnior (1856-1922) nasceu em Medforf, Estado de Nova Jersey, nos Estados Unidos. Este hino talvez seja o mais cantado hino escrito por Johnson Oatman. Difundiu-se por todo o globo. Apareceu pela primeira vez na coletânea Songs for Young People (Cânticos para Jovens), compilado e publicado pelo compositor da melodia, Edwin Othello Excell, em 1897, Um escritor disse sobre hino: "Como raio do sol, iluminou os lugares escuros da terra". O muito lido jornal The London Daily (O Diário de Londres) noticiou que um extraordinário pregador em campanha na Inglaterra, ao anunciar o hino, disse: "No sul de Londres os homens o cantam, os rapazes o assobiam, e as mães põem os seus bebes a dormir com este hino". Este  hino tem o seguinte coro:
"Conta as bênçãos! dize quantas são, recebidas da divina mão! vem dizê-las, todas duma vez, e verás, surpreso, quanto Deus já fez!" 
"Para o crente, a gratidão deve ser a maior atitude da vida”. O salmista Davi sabia como louvar e agradecer ao Senhor sempre. Em circunstâncias muitas vezes intoleráveis, dolorosas, apreensivas, não se desesperou, mas "fez a escolha de levantar a sua voz em canto, celebrando o incomparável amor e a fidelidade de Deus". É nestas horas que vem a pergunta: questiona ou adora? Bom seria que cada crente tome tempo para redescobrir as verdades profundas expressas por Johnson Oatman nas estrofes deste hino. Nas primeiras duas estrofes ele desenvolve o pensamento que o contar das bênçãos serve como antídoto para os desânimos, os desalentos da vida, e também estimula o viver cristão vitorioso: “E verás, surpreso, quanto Deus já fez!”. A terceira estrofe nos ensina que o contar das bênçãos pode ser o meio de colocarmos os bens materiais em devida perspectiva quando comparados com a herança eterna que espera todo o crente nas regiões celestiais. Então,enquanto revemos as nossas bênçãos individuais, certamente temos de concordar com a quarta estrofe: a provisão do auxílio e conforto de Deus durante toda a nossa vida é uma das nossas mais ricas bênçãos.
Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito?”, a pergunta de Davi deve ser o mecanismo disparador desta maravilhosa redescoberta nos momentos mais difíceis, quanto parece que é tudo em vão, lembre-se de tudo o que Deus já fez por você, para você e só por sua causa. Tente contar as bênçãos, mas tente lembrar de tudo. Creio que forma tantas que você vai passar muito tempo regozijando no Senhor por tudo que tem feito e certamente a alegria retornará ao teu rosto ao saber, com certeza, que Ele ainda tem muito a fazer por você e para você. Conte as bênçãos, vamos conte e se surpreenda! Que o amor de Deus que excede todo o nosso entendimento seja derramado sobre a sua vida e de suas família, e nome de Jesus. Amém! Quero agradecer ao blog de HELIELCIO DE OLIVEIRA RAMOS, História de alguns hinos evangélicos, de onde tirei informações importantíssimas para esta postagem.

 

Bênçãos há sobre a cabeça do justo, mas a violência cobre a boca dos perversos.

Provérbios 10:6